terça-feira, 29 de março de 2011

SIC - Querida Júlia

Ligaram ontem para ver se posso ir amanhã...nervos.

Mas tudo está dependente, se existe ao não uma actividade no colégio dos filhotes que implica a presença dos pais...e os meus filhos acima de tudo.

Confesso que fico nervosa, só de pensar que poderei ir a televisão, falar de mim...da minha vida, dos obstaculos que tive e consegui superar...mas não quero passar a imagem de super mulher, porque existem pessoas com vidas muito mais complicadas que a minha e essas sim, por tudo o que passam e passaram, são eles os super do nosso país.

Eu tive a infelicidade de perder o meu marido e o meu pai, e optei por ficar a superfície, com custo, com dor, com muitas lágrimas à mistura, mas hoje consigo sorrir do que antes me fazia chorar. Serei por isso mais que outros??? Não...de todo.

Se sou uma mulher de garra? Acho que sim...

Mas como ouvi a uns tempos, O TEMPO NÃO CURA NADA, o que cura é o que nós fazemos com o tempo...e eu nesse espaço de tempo, tentei ver a vida com cor, invés de preta.



5 comentários:

Luisinha disse...

Espero poder ver... e és mesmo uma mulher de garra!!!!
Bjinho

Rita G. disse...

Faz o que o teu coração te mandar. De qualquer forma, és de certeza uma mulher forte e cheia de garra! bj

carla disse...

independente da tua opnião, sabes que tens sempre o meu apoio :)

Dina disse...

«TEMPO NÃO CURA NADA, o que cura é o que nós fazemos com o tempo...e eu nesse espaço de tempo, tentei ver a vida com cor, invés de preta.»... esta frase diz tudo, gostei ;) És uma mulher de garra, lá isso és!

Kikas disse...

chuac a todas